Medicamentos Genéricos

Um medicamento genérico precisar ser exatamente igual ou semelhante ao medicamento de marca, ele deve conter as mesmas funções farmacêuticas e pode ser comercializado em todo mundo. Antes de um medicamente genérico ser comercializado, ele passa por uma fase de testes que são avaliados pelo ministério da saúde da ANVISA, tudo isso para saber se o medicamento genérico é equivalente ao medicamento normal, feito pelos fabricantes.

medicamentos genéricos
Quando surgiram os medicamentos genéricos?

Os medicamentos genéricos surgiram em todo mundo há mais de 40 anos. A primeira indústria a produzir medicamentos genéricos, foi uma indústria localizada nos Estados Unidos. O governo americano deu iniciativa à produção de medicamentos genéricos em 1960, mas dos EUA só registraram esses medicamentos em 1984.

No Brasil, os medicamentos genéricos começaram a ser comercializados em 1999. Quatro anos depois desta data, os genéricos já atendiam mais de 60% da população brasileira.

 

Quando um remédio de marca passa a ter uma versão genérica no mercado?

O genérico começa a ser distribuído no mercado quando expira o patente de um determinado remédio de marca ou também chamado de medicamento de referência. Ao expirar o patente do produto, ele fica livre para ser copiado pelos concorrentes. Como cada medicamento de marca tem uma data para vencer o patente, as empresas que trabalham no segmento dos medicamentos genéricos começam a trabalhar muitos antes do fim das patentes.

 

A participação dos genéricos no mercado brasileiro.

Atualmente no Brasil, os medicamentos genéricos correspondem cerca de 20% dos remédios comercializados em todo o país, um número que com certeza deverá aumentar nos próximos anos com a entrada de mais drogas no mercado.

 

Existe alguma vantagem ao adquirir um medicamento genérico?

Levando em consideração ao ponto de vista da saúda, não há diferença alguma. O efeito de um medicamento genérico é o mesmo contido em um remédio de marca. Agora em relação ao quesito financeiro, há algumas diferenças. Por lei, os genéricos custam 35% menos do que os remédios de marca. Em um cálculo feito pelo Pró-Genéricos, constata que em dez anos os brasileiros economizaram cerca de 10,5 bilhões de reais ao adquirir os medicamentos genéricos em vez dos medicamentos de marca.

 

Por que os medicamentos genéricos são mais baratos?

O preço dos medicamentos genéricos são relativamente baixo porque o custo de produção desses remédios é bem inferior aos remédios de marca. O processo de realizar uma pesquisa para fabricar uma droga que seja utilizada para combater uma doença, pode custar milhões ou até bilhões de dólares, pois além das pesquisas é necessário realizar testes para garantir a nossa segurança e a eficácia do produto. Depois de ter realizado todo esse processo e ter desenvolvido o remédio, é necessário investir em marketing com o público, as drogarias e outros. Assim, o custo total de um remédio de marca, pode chegar a bilhões de dólares. E para a produção de um medicamento genérico, as etapas são bastante simples, pois a formula do remédio já é conhecida.

 

Por que muitas pessoas continuam usando os remédios de marca?

Basicamente, por causa da publicidade do produto. Além disso, se o paciente encontrar um remédio que funciona de verdade para um determinado problema, com certeza ele não irá trocar o remédio de marca que funcionou de verdade por um remédio genérico. Os medicamentos genéricos funcionam da mesma forma que os medicamentos de marca, mas eles podem sofrer uma alteração no sabor ou na aparência, fazendo com que as pessoas pensem que falta alguma coisa no remédio genérico.

 

A produção dos genéricos é feita apenas por iniciativa privada?

Não. No dia 1º de Julho de 2009, foi inaugurada no Brasil a primeira fábrica pública de medicamentos genéricos, da Furp – Fundação para o Remédio Popular. A fábrica se localiza na cidade de Américo Brasiliense no interior paulista. Foi constatado que o estado de São Paulo investiu cerca de 190 milhões de reais em toda a estrutura da fábrica, pois a unidade só deveria produzir remédios para comercializar a partir do ano de 2011.

 

Medicamento similar é a mesma coisa que remédio genérico?

Não. Os medicamentos similares tem o mesmo princípio ativo do que os medicamentos de marca, mas nos medicamentos similares não são exigidos os testes de bioequivalência que são extremamente importantes para um medicamento genérico e o de marca.

 

 

Categorias: Genéricos, Medicamentos Genéricos | 1 comentário

Atorvastatina o genérico do Citalor

Os genéricos vêm fazendo um grande papel para a indústria farmacêutica, isso porque eles conseguem ser mais baratos e com isso ganham um mercado muito maior, principalmente aqui em nosso país.

Um dos remédios que são muito procurados em nosso mercado é o Citalor, aparecendo no mercado farmacêutico entre meados do ano de 1985, dentre as suas várias vertentes é principalmente indicado para pessoas que precisam manter o nível de colesterol estável. Porém como todos os medicamentos de grandes empresas estrangeiras o preço desse medicamento é um tanto quanto alto e não é acessível para todas as pessoas, é ai que entra o seu genérico, conhecido como Atorvastatina.

A Atorvastatina é um medicamento que surgiu graças a expiração da patente do Citalor que permitiu que sua composição fosse liberada para outras empresas, dessa forma foi possível criar um remédio com composição semelhante e para os mesmos fins. Esse medicamento é indicado principalmente para pessoas que possuem colesterol elevado, além disso, ele também é usado para controlar apolipoproteína B e triglicérides em pacientes c/ hipercolesterolemia. É por isso que esse medicamento genérico vem sendo muito procurado, principalmente por fazer parte de dietas controladas na maioria dos casos, sempre com acompanhamento médico. A Atorvastatina é um medicamento que nem sempre apresenta efeitos colaterais, mas é possível que dependendo do paciente que vem a usar o remédio possa apresentar alguns efeitos como: constipação, flatulência, dispepsia, dor abdominal, cefaleia, náusea, mialgia, astenia, diarreia e insônia. Mas esse efeito é raramente achado na maioria dos pacientes. É importante lembrar também que ele deve ser usado de forma mais cuidados para quem tem hipersensibilidade a algum componente de sua formula, evitando assim problemas posteriores.

Geralmente não é preciso da receita médica para se comprar esse medicamento, mas é muito importante que você possua acompanhamento médico especializado ao ingerir qualquer tipo de medicamento e esse não é diferente, ele deve ser utilizado somente em dietas especificas que se acompanhadas de um médico não fazem mal nenhum ao organismo.
A Atorvastatina é um medicamento que pode ser facilmente encontrado em qualquer farmácia do Brasil, mas lembre-se sempre de só usa-lo quando for necessário, para assim não prejudicar seu organismo.

Categorias: Atorvastatina | Comente

Rosuvastatina (genérico do Crestor)

Rosuvastatina -genérico do crestor- é um medicamento oral, mais conhecido como Crestor. Esse medicamento funciona como um redutor de gordura, que quando usado da maneira correta e contínua, reduz de maneira significativa a quantidade de colesterol e triglicerídeos no sangue. A rosuvastatina é um potente inibidor da HMG-CoA redutase, a enzima que limita a velocidade do precursor do colesterol, portanto, seu uso continuo reduz vários graus de substancias gordurosas no sangue, que se chamam lipídeos. Essa redução geralmente é obtida em até 4 semanas e se for mantido o tratamento, continua após esse período.

Veja o texto completo clicando aqui

Categorias: crestor, Rosuvastatina | Comente

EMS é eleita a melhor empresa na categoria genéricos

A EMS foi vencedora do prêmio Parceiros do Ano 2012, idealizado pela Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias, a Abrafarma, na categoria Genéricos. Essa premiação reúne as maiores redes de farmácias e drogarias do País. A cerimônia de premiação aconteceu em São Paulo, no último dia 5, e contou com a presença de aproximadamente 500 empresários, executivos e profissionais do setor farmacêutico.

2012 tem sido mais um ano de bons resultados para a EMS Genéricos, que apresenta um crescimento acima do mercado farmacêutico graças à agilidade em disponibilizar, nos pontos de venda, frequentes lançamentos de medicamentos genéricos importantes. A equipe de profissionais da Força de Vendas está presente no dia a dia das farmácias em todos os estados do Brasil. São aproximadamente 20 mil pontos de venda atendidos. Desta forma, a prestação de serviços tem como principal objetivo promover o melhor atendimento aos consumidores.

A EMS Genéricos faz ainda constantes investimentos em PDV, como o ACADEMS (Projeto de Capacitação no Varejo Farmacêutico), e aposta no programa de visitação à fábrica da EMS em Hortolândia – SP, além de trabalhar na ampliação do Programa de Trade ‘Onda Azul’, que já totalizou mais de 1,8 mil estabelecimentos atendidos ao longo de três anos.

O objetivo da EMS Genéricos é continuar crescendo, investindo em P&D e em novas tecnologias para o desenvolvimento de produtos e o aumento de portfólio e market share, ampliando sempre mais o acesso da população a tratamentos médicos.

Fonte: Investimentos e Notícias

Categorias: Sem categoria | Comente

Pantoprazol – Genérico do Pantozol

Informações gerais sobre o Pantoprazol

O Pantozol foi fabricado pela Altana (comprada pela Nycomed) e licenciado nos Estados Unidos pela Wyeth (assumida posteriormente pela Pfizer). Diversos laboratórios vendem o medicamento com o nome de Protonix ou Pantoprazol.

Foi em 24 de dezembro de 2007 que a empresa multinacional farmacêutica Teva lançou uma alternativa AB genérica. Ela foi seguida por equivalentes genéricos da Sun Pharma e Pharma Kudco. A Wyeth, no entanto, processou todas as três por violação de patente e terminou lançando sua própria versão genérica, com Nycomed.

Em 18 de outubro de 2010, a Administração de Alimentos e Medicamentos, órgão governamental dos EUA, aceitou a versão genérica da empresa canadense IntelliPharmaCeutics.

 

Quem pode usar o pantoprazol

O uso do pantoprazol é adulto e feito por via oral. Geralmente é comprado em 20 mg comprimidos, ou 40 mg comprimidos.

O genérico do Pantozol funciona na redução da acidez estomacal ao aliviar os sintomas causados por tal acidez e também previne lesões gastroduodenais induzidas por alguns medicamentos.

Crianças na faixa etária de 0 a 12 anos não devem usar o pantoprazol. Não existem casos conhecidos do uso de pantoprazol para crianças com mais de 12 anos.

Recomenda-se, por fim, que pacientes idosos com mais de 65 anos usem o pantoprazol sem ultrapassar a dose de 40 mg ao dia.

 

Preços do pantoprazol

Uma caixa com 20 mg. bl. x 7 cprs. rev. custa R$ 15,94 reais, enquanto que uma embalagem com 40 mg. bl. 7 cprs. rev. custa R$ 26,39 reais.

O genérico pode chegar a custar cerca de R$ 115,62 reais na versão com 40 mg. bl. 42 cprs. Rev.

 

Indicações do pantoprazol

O pantoprazol é indicado na redução de acidez estomacal e também contra os sintomas em casos de gastroduoedenite, dispepsia não ulcerosa, gastrite, e doença por refluxo gastroesofágico.

 

Contra indicações do pantoprazol

Os indivíduos alérgicos aos componentes da fórmula do medicamento não devem fazer uso do pantoprazol. Além disso, crianças na faixa etária de 0 a 12 anos também são contra indicadas.

Existem uma série de advertências em relação ao uso de pantoprazol. Por exemplo, antes de iniciar o tratamento com o remédio, é preciso que não haja possibilidade de ter úlcera gástrica maligna ou outras doenças do esôfago malignas, uma vez que o remédio retarda o diagnóstico.

Gestantes e mulheres em fase de lactação não devem tomá-lo também, apenas em casos mais graves.

 

Possíveis efeitos colaterais do pantoprazol

Ocasionalmente o uso do pantoprazol pode levar ao surgimento de cefaleia, além de distúrbios gastrointestinais (dor abdominal, diarreia, constipação ou flatulência e reações alérgicas como prurido e exantema).

Outros efeitos, como vertigem, náuseas ou distúrbios visuais (visão turba) não foram observados frequentemente. Além disso, houve casos bastante isolados de formação de endema periférico, e também febre.

Para a maioria desses efeitos, a descontinuação do tratamento com pantoprazol cessa de vez seus prejuízos.

 

O medicamento exige receita médica?

No geral é possível comprá-lo sem receita médica, mas existe uma séria advertência: é preciso fazer endoscopia para confirmar o diagnóstico de esofagite por refluxo. Ou seja, não se deve começar tratamento do pantoprazol contra esofagite por refluxo sem ter a certeza oficial.

Categorias: Genéricos, Pantoprazol | 1 comentário

Omeprazol – Genérico do Peprazol

Informações gerais sobre o Omeprazol

O Peprazol foi vendido pela primeira vez nos Estados Unidos em 1989 pela Astra AB (que veio se tornar a AstraZeneca), sob os nomes de Losec e Prilosec. Em 1990, mudou o nome foi mudado para Prilosec para evitar confusões com o diurético Lasix.

Ele foi vendido desde então no mundo todo. Seu patente norte-americano expirou em abril de 2001, mas a AstraZeneca foi capaz de atrasar a introdução de versões genérica apesar de ações judiciais e pedidos de patentes periféricos. Ela introduziu o Nexium como uma droga substituta patenteada.

Basicamente, o omeprazol é um pó branco pouco solúvel na água. ELe é capaz de reduzir os efeitos de medicamentos como o cetoconazol e itraconazol, enquanto aumenta a ação do diazepam, varfarina, fenitoína e carbamazepina.

No dia 2 de setembro de 2011, o jornal brasileiro Estadão publicou uma matéria chamada “Excesso de omeprazol preocupa médicos” em que alertava os perigos do uso indevido de omeprazol. Segundo alguns médicos, o medicamento ficou banalizado, já que qualquer exagero na bebida e na comida já justificava tomar o omeprazol pra prevenir.

 

Quem pode usar o omeprazol

O omeprazol vem em caixas com 20 cápsulas de 10 mg e algumas com 10 cápsulas de 20 mg. Geralmente o paciente adulto usa 20 mg de omeprazol ao dia (os médicos aconselham que seja usado antes do café da manhã), durante 4 semanas.

O genérico do Peprazol também pode ser usado para crianças com idade superior a 1 ano, que apresentem esofagite de refluxo, que devem usá-lo em dose única pela manhã com o auxílio de algum líquido.

Crianças com peso acima de 20 kilos devem usar 20 mg de Omeperazol. Muitas vezes as crianças podem sentir dificuldade ao engolir. Nesses casos, basta abrir as cápsulas e misturar o conteúdo com líquido para ser ingerido imediatamente.

 

Preço do omeprazol

O Omeprazol genérico, com 10 mg de 14 cápsulas sai em torno de R$ 20, 59 reais. Com 10 mg. 2 bl. x 7 pode sair em torno de R$ 20, 94 reais. O maior preço sai em R$ 128, 06 reais na versão do genérico com 20 mg 10 bl. x 6 caps.

 

Indicações do omeprazol

O omeprazol é indicado contra esofagite de refluxo e síndrome de Zollinger-Ellison, na erradicação do Helicobacter pylori (bactéria conhecida por infectar a mucosa do estômago humano), e contra lesões gástricas resultantes de drogas antiinflamatórias não esteroidais.

 

Contra indicações do omeprazol

São poucas as contra indicações do uso de omeprazol, apenas para pacientes que tenham hipersensibilidade ao medicamento e aos componentes de sua fórmula.

 

Possíveis efeitos colaterais do omeprazol

Alguns dos efeitos colaterais percebidos com o uso de omeprazol: vômitos e náuseas, gastroenterite, obstipação, flatulência, sonolência, insônia, fraqueza, diarréia transitória, cefaléia, tontura, dor muscular e rash cutâneo.

O tratamento prolongado do omeprazol também pode fazer com que cistos glandulares benignos e reversíveis apareçam.

Os efeitos colaterais do omeprazol são de intensidade leve e podem sumir, desaparecer, com a descontinuação do seu tratamento.

 

O medicamento exige receita médica?

A venda do omeprazol pela rede particular dispensa a receita médica, mas como dito anteriormente, o uso excessivo pode ser prejudicial, portanto é sempre recomendável um acompanhamento profissional.

 

Categorias: Genéricos, Omeprazol | Comente

Rosuvastatina – Genérico do Crestor

Informações gerais sobre o medicamento Crestor
O medicamento Crestor é uma das principais estatinas presentes no mercado, ao lado de outros remédios como o Lipitor, o Zocor e o Pravachol. As estatinas são substâncias ativas que pretendem reduzir a taxa de colesterol no sangue.
Na verdade, o Crastor é o nome comercial da Rosuvastatina (genérico do Crestor - fármaco utilizado no tratamento de colesterol alto e também à prevenção de doenças cardiovasculares), dado pelo conglomerado farmacêutico AstraZeneca, fundado em 1999 pela fusão da sueca Astra AB e da britânica Zeneca Group.
O Crestor foi lançado em 2003 e as vendas foram bastante altas durante esse ano e em 2004, com um lucro que chegou até 908 milhões de dólares. Em outubro de 2003, porém, o jornal médico The Lancet criticou o modo com que as táticas de marketing da AstraZeneca teriam sido feitas sem prévias investigações medicinais.
O então representante da AstraZeneca, o químico Sir Tom McKillop, respondeu às críticas na própria The Lancet, escrevendo que os apontamentos do jornal estavam incorretos e que a fabricação tinha sido séria e muito bem estuda medicinalmente.
Rosuvastatina já possui seu genérico, o que reduz os custos com o tratamento a longo prazo.

Quem pode usar o medicamento Crestor?
Uso adulto para aqueles que queiram um auxílio à dieta quando a resposta dos exercícios e das dietas se mostrou inadequada. Deve-se usar de 10 mg a 40 mg por via oral em dose única diária.

Preços do Crestor
Você vai encontrar 5 mg de 10 comprimidos de Crestor por cerca de R$ 19,00 reais. 10 mg com 10 comprimidos revestidos pode sair por quase R$ 50,00 reais.
Ainda existem opções de 5 mg com 30 comprimidos revestidos (R$ 57,02), 20 mg de 10 comprimidos (R$ 77,39), 10 mg. cx. 30 cprs. rev. (R$ 132,58), 20 mg. cx. 30 cprs. rev. (R$ 232,26), e 40 mg. bl. 30 cprs. rev. (R$ 252,67)

Indicações do medicamento Crestor
O medicamento Crestor é indicado para pessoas cujos resultados das dietas e dos exercícios se mostrou inadequada. Como dito anteriormente, ele auxilia bastante na parda de colesterol alto.

Contra indicações do medicamento Crestor
O medicamento Crestor é contra indicado para pessoas com hipersensibilidade à rosuvastatina cálcica e outros componentes dessa fórmula. Pacientes com doença hepática ativa também não devem usá-lo.
Gestantes ou mulheres que estejam na fase da lactação, além daqueles com grande potencial de engravidar que não estejam usando métodos contraceptivos adequados, também são contra indicadas para usar este medicamento.
Além disso, existem uma série de advertências importâncias a respeito do Crestor. Por exemplo, pacientes que consomem grandes quantidades de álcool devem usar Crestor com cautela, devido seu inibidor de HMG-CoA redutase.

Possíveis efeitos colaterais do medicamento Crestor
É preciso tomar cuidado com o uso de qualquer estatina, seja o Lipitor, Zocor, Pravachol, e o Crestor não é exceção. Os efeitos colaterais e prejuízos causados pelo medicamento no organismo muitas vezes podem superar os benefícios.
O paciente pode apresentar, por exemplo, várias dores generalizadas, e até complicações mais sérias no músculo, como a rabdomiólise (quebra de músculo esquelético devido lesão no tecido muscular).

O medicamento Crestor exige receita médica?
Nem sempre, e principalmente se o interessado seguir todas as recomendações dadas acima. No entanto, é altamente recomendável um bom acompanhamento médico, tanto para medir os resultados do medicamento quanto os efeitos (benéficos e maléficos) que ele tem causado no paciente.

Categorias: Genéricos, Rosuvastatina | 7 comentários

Atorvastatina – Genérico do Citalor

Informações gerais sobre o medicamento Citalor
A Atorvastatina  - Genérico do Citalor - é vendida sob o nome comercial de Citalor, comprada geralmente para reduzir níveis altos de colesterol, apesar de atuar em vários outros aspectos do organismo humano (ver Indicações mais abaixo).
A Atorvastatina foi sintetizada em 1985 por Bruce Roth pela Parke-Davis Warner-Lambert Company (que depois se transformou em Pfizer). Logo a Atorvastatina tornou-se uma das estatinas mais famosas do mercado.
A Atorvastatina já possui um genérico,  o que reduz os custos com o tratamento por longos períodos.

Quem pode usar o medicamento Citalor?
Uso adulto para aqueles que queiram um auxílio na redução de colesterol quando a resposta dos exercícios e das dietas se mostrou inadequada. Deve-se usar o Citalor junto a uma dieta padrão para redução do colesterol. Essa dieta precisa ter começado antes do uso do tratamento da atorvastatina cálcia. 10 mg em dose única diária é a dose inicial usual, mas ela pode variar de 10 a 80 mg, em dose única diária.

Preços do Citalor
Você vai encontrar 10 mg com 10 comprimidos revestidos de Citalor pelo preço de R$ 23,36 ou ainda 20 mg com 10 comprimidos revestidos pela mesma faixa de preço.
Ainda existem opções de 40 mg. 10 cprs. rev. (R$ 46,71), 20 mg 30 cprs. rev. (R$ 70,06), 10 mg. 30 cprs. rev. (R$ 70,06), 10 mg. 60 cprs. (R$ 112,10), 20 mg. 60 cprs. (R$ 112,10), 40 mg. 30 cprs. rev. (R$ 140,12), e 80 mg. 30 cprs. rev. (R$ 140,12)

Indicações do medicamento Citalor
O medicamento Citalor é indicado quando no geral medidas não-farmacológicas e dietas forem inadequadas, para reduzir níveis elevados de colesterol total, além de apolipoproteína B e triglicérides em pacientes c/ hipercolesterolemia primária, LDL-colesterol, hiperlipidemia mista e hipercolesterolemia familiar heterozigótica e homozigótica.

Contra indicações do medicamento Crestor
Pacientes com hipersensibilidade à quaisquer componentes de sua fórmula não devem usar a atorvastatina cálcia Citalor. Além disso, pessoas com doença hepática ativa e elevações das transaminases séricas não devem usá-lo.
O medicamento Citalor também é contra indicado para gestantes ou mulheres na fase de lactação, e àquelas em idade fértil que não usam medidas contraceptivas eficazes.

Possíveis efeitos colaterais do medicamento Citalor
No geral o Citalor é bem tolerado e as reações adversas notadas pelos médicos são de natureza transitória e leve. Poucos pacientes descontinuam o tratamento. Os efeitos colaterais mais frequentes notados em pacientes foram constipação, flatulência, dispepsia, dor abdominal, cefaleia, náusea, mialgia, astenia, diarreia e insônia.
Além disso, estudos clínicos realizados com pacientes em tratamento de atorvastatina constataram outros efeitos colaterais, como caimbras musculares, edema angioneurótico, miosite, miopatia, hepatite, icterícia colestática, parestesia, neuropatia periférica, pancreatite, anorexia, vômito, alopecia, prurido, erupção cutânea (rash), impotência, hiperglicemia e hipoglicemia.
Mas nem todos os efeitos listados foram associados diretamente ao tratamento com a atorvastatina.

O medicamento Crestor exige receita médica?
É muito importante ter o acompanhamento de um bom médico durante o tratamento com o Citalor, pois, como dito anteriormente, esse medicamento deve ser inserido numa dieta adequada.
Por isso, será extremamente eficaz perguntar ao seu médico quando deve-se inserir o Citalor à sua dieta, e fazer sempre uma checada profissional de qual é a resposta do seu organismo com o uso da atorvastatina cálcica.

Categorias: Atorvastatina, Genéricos | 1 comentário

Drospirenona + Etinilestradiol – Genérico do Yasmin

drospirenona - genéricosMuitos de nós acabamos tomando medicamentos sem mesmo saber o que são, qual a sua composição e como eles agem no corpo, afinal, acabamos por confiar no médico, porém, é sempre importante saber o que se toma, principalmente ao se tratar de medicação contínua, como o caso do Drospirenona + Etinilestradiol (Genérico do Yasmin).

Para aqueles que não sabem, Drospirenona + Etinilestradiol nada mais é do que o genérico da Yasmin, este que é um anticoncepcional bastante utilizado entre as mulheres, ou seja, também é bastante indicado pelos médicos ginecologistas. Este nome grande trata-se de composição do remédio Yasmin, ou seja, é o nome do medicamento quando vendido como genérico.

O anticoncepcional já esta no mercado a diversos anos, e foi criada com o objetivo de se prevenir uma gestação indesejada, mas assim como outros hormônios, pode ser também utilizada com outras finalidades, bastante que se observe a forma de posologia, ou seja, a forma com que medicamento será administrado.

Há casos em que o medicamento pode ser associado a tratamentos como por exemplo a endometriose, fazendo com que a mulher faça o uso continuo da pílula, para que desta forma a menstruação seja evitada e a criação de cistos seja previnida. Há também casos em que mulheres que sofram com acne e seborreia também precisem fazer o uso do Yasmin ou seu genérico, visto que é considerada como uma das poucas pilulas que tem a concentração de hormônios adequada para que se previna a gravidez indesejada, e da mesma forma consegue evitar que a mulher comece a reter líquido, como é possível verificar em muitos outros casos.

Quando se fala de pílula anticoncepcional, inicialmente qualquer mulher pode tomá-las, assim como a Yasmin, porém, é importante fazer algumas ressalvas, como por exemplo mulheres fumantes, estas devem evitar a todo custo o uso de hormônio, visto que pode fazer com que se obtenha problemas de circulação com alta gravidade.
Também há casos em que a mulher possa obter problemas circulatórios, como por exemplo varizes, neste caso, o uso tanto do Yasmin com de qualquer outro tipo de hormônio deve ser observado por um médico especialista.

Se você já consultou o seu médico e este lhe indicou tanto o Yasmin como o seu genérico, e por qualquer motivo que seja notar que esta apresentado algum efeito colateral, como por exemplo enjoos, dores de cabeça, inchaço, cólicas ou qualquer outro sintoma que não seja comum, entre em contato imediatamente com o médico que o prescreveu e informe o que esta acontecendo, para que desta forma ele indique a suspensão da medicação, ou ofereça a orientação adequada.

Vale lembrar que o organismo humano age de diferentes formas, ou seja, a pílula pode funcionar muito bem para a sua amiga, e poderá lhe ocasionar reações adversas, e isto não quer dizer necessariamente que a medicação não é adequada, mas sim que não funcionou para você, desta forma você e seu medico deverão encontrar uma pílula que seja compatível com o seu corpo ou encontrar uma outra forma de contracepção.

Categorias: Drospirenona, Genéricos | 23 comentários

Amoxicilina – Genérico do Amoxil

amoxilina - genericosUm dos antibióticos mais utilizados nos dias de hoje para o tratamento de diversas infecções é o Amoxil, porém, como muitos sabem o preço do medicamento é bastante elevado nos dias de hoje, sendo assim, há alguns anos surgiu a era do medicamento genérico, este que possui exatamente a mesma composição porém o seu preço de venda é bastante inferior.

A aceitação do genérico do Amoxil é grande tanto pelos médicos quanto pelos pacientes sendo o antibiótico indicado para quadros de amigdalite, infecções de pele, sinusite, infecções odontológicas, otites, gastrite, infecção de urina, entre outros. Esta é a indicação pelo fato de apresentar resulto rápido, ou seja, o paciente que apresenta dor obtêm melhora a curto prazo.

É importante lembrar que assim como qualquer outro medicamento, a amoxicilina deve ser administrada de forma correta, sendo assim, siga corretamente a orientação do médico que fez a indicação, e só suspenda o uso antecipadamente no caso de indicação médico responsável.
No caso de interrupção indevida, pode acontecer de a bactéria não morrer e acabar por ficar mais forte, isto pode ser observado quando há a famosa “recaída”, e quando isto ocorre, é possível que o Amoxil não possua mais o mesmo efeito que deveria.

Como muitos sabem o organismo humano age de forma diferente, fazendo com que seja possível a observação de reações adversas, como por exemplo: diarreia, náuseas, sono e até mesmo enjoo, porém são poucos os casos.

Nos dias de hoje, como é observado, comprar medicamento genérico é preciso de atenção, ainda mais nos dias de hoje, pois apesar de obterem o mesmo principio ativo, ou seja, o mesmo objetivo, é importante que se fique atento com relação aos preços e as fabricantes, pois um poderá obter resultado mais rápido do que outro.
Vale lembrar também que este medicamento só pode ser vendido com receita médica, assim como muitos outros, isto acontece pelo fato de se tratar de um antibiótico que tem como objetivo alcançar resultado positivo, porém, muitas pessoas acabam o utilizando de forma errada, ou seja, os sintomas começam a surgir e a pessoa já toma o remédio, porem não nos intervalos corretos, ou na quantidade de tempo adequada para o tratamento ser realizado por completo.

No Brasil o medicamento pode ainda ser conhecido como Ocylin ou Sinot. O uso de antibióticos deve ser feito apenas quando indicado por um médico qualificado, pois assim como qualquer outro medicamento, a Amoxilina poderá fazer com que você sare da bactéria que lhe faz mal, porém também poderá fazer com que a sua imunidade seja reduzida.

Os preços da Amoxicilina no mercado podem variar bastante de acordo com o fabricante, e pode até parecer difícil, mas o ideal é que nem sempre se procure pelo medicamento mais barato, afinal, este poderá não produzir o resultado que se deseja, fazendo com que a pessoa doente além de continuar com problema, apenas tenha jogado dinheiro no lixo e nos dias de hoje, não é o momento para este tipo de coisa, não é mesmo?

Categorias: Amoxilina, Genéricos | 1 comentário